sábado, 30 de junho de 2012

--'


Não curto muito quando me sinto perdido sem saber qual direção tomar e nem como tomar e aí podem dizer assim: Ué, mas você não disse que sabe muito bem o que quer? Que se conhece e pans?! Sim, eu sabia. Embora o percurso da minha vida seja uma viela com ida e volta hoje ela se apresenta para mim como um labirinto, eu consegui transformar a viela em um labirinto. É como se eu soubesse de tudo e de repente já não soubesse mais de nada. Hahahaha! Quem apagou as luzes? xD~
Não gosto dessa sensação... Não me traz boas lembranças e não vai me levar para uma boa direção. Não gosto de pensar ou supor achar situações que não fazem sentido, é bem tenso porque ontem era um, hoje é como se a luz tivesse apagando, sabe? E eu não posso me tornar refém das aparências, de jeito nenhum. Hahahahaha! Até porque não tenho mais idade e saúde o suficiente para isto...
Odeio parar aquilo que estou fazendo e me limitar a juntar peças, cenas a fim de montar tal do quebra-cabeça... Muito embora as circunstâncias sejam bem favoráveis, ele pode estar apenas na minha mente, coisa que aconteceu há 15 (quinze) 16 (dezesseis) anos atrás. Falando assim eu me sinto um velho e já sou não é? Ao menos no modo de agir...



Enfim... Preciso colocar os pensamentos no lugar, se me deixar levar já sei onde e como isso acaba.


A cicatriz ainda dói.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

É, né? Já que diz...

Já tinha visto pessoas não gostarem de elogios ou qualquer coisa que levasse para o gênero, mas ainda não tinha visto pessoas admirarem estupidez, grosseria, impaciência... Isso é novo pra mim.
Eu falo e algumas pessoas pensam e até dizem que exagero enquanto outras, de certa forma, sentem-se incomodadas por eu expor o MEU lado ruim. E eu acabo não entendendo porque se falo somente coisas boas talvez as mesmas pessoas dissessem que eu sou um vaso mal feito querendo posar de jarro de porcelana, por só falar coisas boas ao meu respeito e esquecer-se de mencionar os defeitos... Well, well, cada um tem o seu modo de pensar e ver as coisas e a recíproca é verdadeira, tanto que eu falo do que é mais óbvio, mais na cara, falo dos meus defeitos.
Qualidades, a meu ver, são coisas que as pessoas por julgamento próprio devem notar. Eu não me sinto bem tentando implantar nas mentes alheias que sou aquilo que, depois de um tempo, eu talvez não consiga mais representar.
Mas voltando a primeira linha, algumas coisas vêm me surpreendendo nos últimos tempos. Mudanças repentinas e revelações de pensamentos que para mim não existiam, não de determinadas pessoas. O reconhecimento por algumas coisas sabe? Uma conversa casual onde essas coisas são jogadas de uma maneira tão leve, tão natural, e você pára e pensa assim: Porra, enquanto eu penso que sou um merdinha alguém lá fora vê e pensa diferente de mim, partindo do mesmo aspecto.
De certa forma fiquei contente em saber que as pessoas compreendem a minha forma de ser. Eu ouvi uma vez que para você dizer a verdade com sinceridade não precisa machucar... Mas eu aprendi que não existe verdade que não machuque. Porque a verdade é, de fato, aquilo que você não quer aceitar...


Eu jogo pesado...


Não gosto do que você fala! Gosto da sinceridade com que fala, gosto de saber que você fala e não tem medo que eu pare de falar com você. Gosto de notar que, de alguma forma, você se preocupa.



Abraço.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Agradecer...

Devemos agradecer por cada segundo de respiração que temos, por conseguirmos nos manter de pé e projetar uma arrancada de 30, 40 metros em poucos minutos com nossos órgãos trabalhando todos simultaneamente, assim como nosso coração nos dando condições necessárias para tal exercício.
Devemos agradecer pelo alimento, pela dormida, por temos todos os dias uma pessoa chata que briga conosco e que sempre dita situações complicadas, mas sempre no intuito de proteger e mostrar um caminho certo a seguir. Quem não tem a quem agradecer por não acreditar em algo apenas agradeça, mas agradeça.
Sabe, devemos agradecer aquela pancada que algum amigo muito amigo nos deu no passado porque apesar de ela ter tido naquele momento um impacto negativo, hoje ela nos fez mais forte, ela nos fez aprender e crescer naquele aspecto; é como se algumas coisas ruins que aconteceram fossem, ao longo do tempo, convertendo-se em coisas boas... Já pararam para analisar a vida dessa forma?!
Nós somos tão frágeis, tão falhos que hoje a média de vida das pessoas é 75 anos. Um dia já foi mais alta essa média. Sabe os nossos órgãos que funcionam simultaneamente dando condições para que possamos fazer várias coisas? Pois é, eles não são infalíveis. O nosso magnífico coração pode parar de bater no meio da trajetória da arrancada e, você certamente irá cair com todo o peso do corpo somado a velocidade em que está porque o corpo não vai diminuir estrategicamente para que não haja nenhum dano na queda, não somos máquinas, não temos essa regulagem...
A vida é longa e é curta ao mesmo tempo e devemos aproveitá-la o máximo que pudermos. Os momentos passam com o tempo, esse não espera por ninguém ele vai embora, e se você não aproveitar certas oportunidades, certos momentos, certas passagens, você deixou de viver nesses momentos. É preciso prudência! Eu sei, mas você precisa viver... Viver é importante...


Viver... Diferente de existir!

terça-feira, 19 de junho de 2012

Tem que ser...


Já faz algum tempo que tinha vontade de comentar a respeito disso e só não o fiz talvez por não lembrar em outro momento. Devo ter comentado por aqui sobre a minha personalidade, não sei em qual dos post’s aleatórios e viajantes ou sem sentido, mas comentei sim... Talvez no primeiro bem provável que sim.
Já houve quem dissesse que eu tenho múltipla personalidade, existem aquelas pessoas que acreditam piamente que não sou uma pessoa grossa, em certos momentos me apresento bem mal educado, estúpido; existem aquelas que já não conseguem ver nada mais nada menos que ignorância em minha pessoa – o que não deixa, no fundo, de ser uma verdade.
Sou um misto de tudo isso sim, afinal de contas, que não é? Sou antipático sim! Não adianta sair por aí posando de bom samaritano, puritano quando que, na realidade fria dos fatos, suo e exalo odor como qualquer outro ser humano.
O que acontece é que algumas pessoas me conhecem de uma forma e não protagonizam situações onde o lado mais rude é posto em ação, são pessoas com quem sei lá, acredito não haver nenhum motivo de ser diferente então é claro que eu me policio pra que essas coisas não aconteçam, mas você sabe, está além do nosso querer...
As pessoas que nunca trocaram palavras comigo, mas que conhecem o meu lado estúpido, uma possível amizade com elas seria mais bem conservada porque conhecem mesmo que de longe os limites e extremos. É mais legal quando as pessoas se impressionam vendo vir de você algo bom diferente daquilo a que estão acostumadas do que quando com algo ruim.
São circunstâncias diferentes, realidades diferentes e pessoas com chegadas diferentes. Você não vai mandar um foda-se para alguém que apenas sorriu pra você dizendo-lhe um bom dia. Muito embora o seu dia não esteja lá essas coisas, vai, no máximo, responder sem repassar-lhe a mesma energia positiva que recebera...
Não tenho dupla, tripla, múltipla personalidade! Tenho momentos que não sou suportável nem a mim mesmo, tenho momentos normais ou aceitáveis, tenho os momentos de idiotice e babaquice. Converso com pessoas legais, converso com pessoas idiotas e que forçam a minha paciência e boa vontade e, tal qual como foi descrito acima, cada uma delas, a partir da sua ação, me força a uma reação diferente.



Simples assim.




Mas, no final, eu continuo sendo eu mesmo... Busco sempre isso, me manter eu!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Acho que é satisfação...


Nossa! Faz tempo que não posto aqui. - Desde o último dia 31, o que remete ao mês passado. E aí podem perguntar se acabou o assunto, uma vez que faço textos extensos e cansativos; eu respondo que não. Não se acabaram os assuntos eu não ando tendo muita paciência para escrever essa é a verdade nua e crua.
Já tentei forçar texto e o resultado é bem claro o post saiu uma merda, mas isso não quer dizer que eu tenha perdido o gosto por postar tenho sentado aqui várias vezes e tentado montar um post que, sei lá, não encaixou e eu resolvia para por ali mesmo.
De que adianta ter muito a dizer se você não sabe como vai dizer? Se não há uma organização das idéias ou argumentos, dependendo do teor do texto são idéias mesmo... É bem normal fazer postagens nada a ver mesmo quando eu consigo dividir cada palavra que desejei usar, imagina quando não consigo fazer essa organização...
Acredito que mais futuramente me voltem às postagens e a vontade contagiante que tive desde o primeiro momento no blog, afinal de contas ele tem sido meu oráculo. Hahahaha! Como eu disse, conversar aqui tem sido mais saudável do que conversar com pessoas – muito embora seja isso o que acontece aqui, direta ou indiretamente... É mais saudáve!


Gostaria de agradecer a todos os visitantes. É preciso ter saco e paciência para ler isso aqui. Hahahaha! 


Abração.