quinta-feira, 26 de março de 2015

De passagem.

Em momentos angustiantes de grandes pressões, tensões e expectativas eu procuro pensar/lembrar-se das coisas boas que fizeram ou fazem parte da vida da gente. Tenho plena consciência de que o mundo é dividido entre as pessoas que querem ver a vitória e aquelas que torcem por um tropeço e eu, colega, certamente tenho bastante gente desta segunda classe torcendo por mim (pra que eu me ferre), porque tenho uma habilidade muito grande em conquistar a antipatia alheia, rapaz talentoso...
Mas também sinto que tenho muitas pessoas torcendo por mim, pra que eu consiga chegar ao meu objetivo. Pessoas, de repente, de outros lugares, distantes em todos os sentidos, mas perto o suficiente para me transmitir positividade e a isso, em razão disto, eu agradeço do fundo do coração. As coisas não estão nada fáceis, mas a gente não pode deixar de lutar. Haha! Hoje consegui matrícula em mais uma disciplina espero conseguir nas anteriores e então me esforçar para aprovar em todas.

Muito obrigado!

Vou deixar uma música que ouvi hoje a maior parte do dia... ~

 

Abraço!


segunda-feira, 23 de março de 2015

Good Night's, peoples

Olha eu de novo por aqui (: anh, não preocupem-se, pois serei breve! Tão breve quanto essa moderada pausa de 14 dias sem postar. Nossa meo as coisas têm estado super complicadas. Sinto que estou deixando algumas coisas por fazer, esquecendo outras, sinto que devo uma satisfação à algumas pessoas a quem tenho certa consideração e irei fazer, mas pessoalmente.
Falar a verdade é preciso e eu estou quebrado, cara. Acho que estou ao cumo de um dos meus limites e sinto às vezes que o corpo está cansando, daí viram os mais velhos para mim e dizem: “mas, já? Tão novo...” já sim. Quando promovemos ritmos diferentes daquele já de costume, ritmos fortes, o corpo vai dando respostas e é mais ou menos por aí.
Meu tempo meio que se comprimiu nas últimas semanas finalizei uma disciplina e surgiu outra de oportunidade e, como me disseram certa vez, quando surgem as oportunidades não devemos deixa-las passar. Eu vi a linha passando diante dos meus olhos e a segurei agora só solto quando finalizar a disciplina!
Em qualquer situação o teu maior obstáculo e inimigo é a mente. Trabalhar a mente é necessário, pois só assim você consegue vencer tudo de ruim que possa vir a te atingir do meio externo. A saúde mental chega a equiparar-se com a saúde física. Como já falei em algum texto aleatório, existe uma interdependência então ambas precisam estar ok. Há mais ou menos 1 ano e meio eu me encontrava com 25 disciplinas não vencidas no histórico e cheguei a dizer que nunca me formaria.
Hoje eu tenho 5 disciplinas e estou movendo céus e infernos para tentar concluí-las no período 01/2015, mas é que eu usei um pouco da minha irreverente rebeldia e resolvi descreditar à mente o dom do acerto. Está difícil, mas o impossível se tornou possibilidade real. Não abro isso pra ninguém, sou mais do tipo que escuta ao que falar de si... Mas mesmo eu preciso por pra fora algumas coisas. Saúde mental lembra? A minha não anda nada bem, mas vamos lá. Ainda espero ter um tempo para trabalha-la, descansa-la, recompensa-la, provar-lhe que a força de vontade supera a sua complexidade.

Amanhã termina a minha maratona particular em período de férias. Nossa foram aulas à noite, passar o dia todo em sala de aula... É, este é um dos motivos pelos quais eu sumi...

Deixa-me ir que logo mais tem de novo, manhã e tarde.

Abraço.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Compa?

Quando eu era mais novo adorava voar em cima de duas rodas, entre os 15 e 19 anos montar numa bicicleta e correr sem limites era uma das formas mais simples de liberar serotonina. Deus eu adorava correr sem limites furando sinais vermelhos, cruzando entre carros, ônibus, caminhões em movimento, saltando calçadas, impondo e quebrando obstáculos em cima de uma bicicleta não apropriada a render tido o que eu conseguia extrair dela, com ajuda das minhas pernas, lógico... Ah eu amava a adrenalina da velocidade, eu amava correr.
Dos vinte para cá narro este que vos fala como um cara que continua amando a velocidade, mas que a teme para si. Um cara que não construiu nada a que tenha medo de deixar, mas que nutriu certo medo como se houvesse construído e, por isso, deixou de fazer muitas as artes que fazia sentado à cela. Foi neste período também, dos 20 para cá, que houve uma grande mudança de opinião, que a cirurgia de vasectomia deixou de ser prioridade e passou a ser lembrada como aquela ideia de um adolescente inconformado e revoltado.
É evidente que a vasectomia deixando de figurar nos altos planos de vida do indivíduo o amor paternal passa a tornar-se necessidade real. Ainda que de forma tão inusitada, mas desde então, desde esses 20 para tantos mais após eles, vai se modelando mentalmente como seria a vida paternal, o que se espera quando a sua vida deixa a te pertencer e passa a pertencer a um alguém que é parte de você fora do corpo... Uns dizem que é uma expectativa irônica, uma vez que lhes falta paciência de vez em quando, mas e com as partes dentro do corpo também não é assim? O coração, por exemplo...
Achei lindo agora a pouco, no supermercado, o meninozinho de mais ou menos 80cm correndo com a cartelinha de chambynho e dizendo: papai, poti compar? Compa papai! Compa!

quinta-feira, 5 de março de 2015

quarta-feira, 4 de março de 2015

... Your looking at me through the glass ♫

Opa! Voltei aqui. Haha! Na verdade sequer fui então como poderia voltar? Quem volta é porque foi a algum lugar. Volto sempre e volta e meia estou por aqui, todos os dias volto ao mesmo lugar de sempre. A gente vive fazendo isso se formos mesmo prestar atenção. Tomamos algumas decisões e depois voltamos atrás, depois voltamos atrás de ter voltado atrás da decisão tomada inicialmente. Hahahaha!
Há muito tempo atrás alguém me disse que independente do que pudesse acontecer, guardaríamos para sempre aqueles que nos são ou foram importantes e especiais. À época eu admito não ter dado tanta atenção, pois soou como uma espécie de consolo feito àqueles deixados por quem vai embora, em seu penúltimo passo antes de partir... Anh se a memória não me falha foi exatamente assim que aconteceu, não?
Tenho gostado de você ter vindo com certa frequência ao meu blog e peço desculpas por ainda ser aquele cara sem graça de sempre sem grandes, importantes e relevantes novidades a te oferecer, mas só o fato de olhar e ver que tu me fizeste uma visita faz ficar no ar uma sensação de satisfação. Acho legal que tenha essa ligação mesmo que bem distante ali da zona de segurança, apesar de achar que não exista mais perigo algum, mas é o correto circunstancialmente.

Talvez o correto seja mesmo o assim, longe da zona de perigo, perto da zona de segurança, longe dos olhos e anos luz do coração...

Cuida-se e, tudo de bom. Ah, continua vindo de vez em quando.

Abraço.

Carta para James Fernandes Nogueira

Se você tivesse aqui estariamos conversando sobre coisas da sua vida maluca e dando maiores  risadas malucas.
Se você tivesse aqui eu estaria ouvindo você cantar e tocar aquela bela canção do Cartola " A vida é um moinho " .
Se você tivesse aqui eu não iria me sentir tão só.
Se você tivesse aqui me falaria o que fazer.
Se você tivesse aqui dava um abraço de urso como de costume.
Se você tivesse aqui te contaria meus novos segredos, acredito q esteja desatualizado rs.
Se você tivesse aqui te arrumaria uma boa moça, aquela que você sempre falava, lembra ?
Se você tivesse aqui te faria café todos os dias. Desculpa as vezes que fiquei com preguiça rs...
Se você tivesse aqui ajudaria na campanha para doar um rim, seria mais presente quanto á isso.
Se você tivesse aqui ficaria feliz em me ver cursando faculdade.
Se você tivesse aqui tirariamos várias fotinhas para guardar lembrança
Se você tivesse aqui te faria de cobaia como meu paciente, e com certeza você tiraria piadas depois dos procedimentos clinicos pois me achava atrapalhada rs..
Se você tivesse aqui doaria meu rim e assim acabaria teu sofrimento.
James Fernandes, o cara mais louco que eu já conheci. Um tio,um amigo, um pai!
Te guardo s2

Que tal ?

A ideia é simples: você não me liga, eu não te atendo e nunca discordaremos de nada.

Fernando Pessoa

O que há em mim é sobretudo cansaço. Não disto ou daquilo, nem sequer de tudo ou nada: cansaço. Assim mesmo, ele mesmo, cansaço. (F. Pessoa)

terça-feira, 3 de março de 2015

Do verbo querer.

Quando quer, faça chuva ou faça sol.
Quando quer, não há desculpas.
Quando quer, sem mais nem menos.
Quando quer, não tem rodeos
Quando quer, vai sem medo.
Quando quer, não desiste.
Quando quer, corre atrás.


segunda-feira, 2 de março de 2015

\o/

Dei uma pausa visto que comecei o ano postando a todo vapor e agora tenho a companhia da minha amiga, Drika, que vai se encarregar de também alimentar o blog com textinhos sendo então eu e ela os autores alternativos. Acho que não fiz uma apresentação como ela merecia diferente do que fiz outrora... Mas ela mesma se apresenta através de sua primeira postagem e eu agradeço a força nesta parceria.
As coisas não se alteram, o blog permanece com o mesmo foco e a diferença está no que será abordado em cada texto e nas formas de expressar as ideias, no fim quem ganha é o blog.

Seja bem-vinda, Drika ou Dri (como tenho chamado ultimamente). o/