domingo, 12 de fevereiro de 2017

Apenas mais um de fevereiro...

Já vi tempestades e sei como elas acontecem, sei que o tempo vai se preparando e nos avisa com ventanias, vendavais, nuvens carregadas que chegam a escurecer o céu independente do horário do dia. Às vezes o mundo costuma desabar sobre nossas cabeças tal qual o céu em forma de chuva, num estalar de dedo você pode viajar do céu ao inferno como num verdadeiro passe de mágica.
Está tudo perfeito e em ordem e de repente, num mero instante, tudo desaba diante dos nossos olhos como uma avalanche de neve que sai devastando tudo que encontra pela frente. É, amigos, a vida não escolhe hora certa e/ou avisa quando vem buscar, cobrar o seu preço. E sabe qual é o problema, camarada? Ela cobra com juros e correções, e não vejo outra forma de pagarmos senão pelo resto dos dias.
O interessante é que sempre, ou quase sempre, após as tempestades o dia renasce com um sol sorridente e acalentador. Não consigo entender bem o que move alguém aos pedaços a conseguir reerguer-se, talvez por não ter sido quebrado completamente. Admiro pessoas que entram na vida de outras pessoas com o intuito de recuperá-las uma atitude muito perigosa e dificilmente exitosa.
Talvez haja os que se recuperem sozinhos, talvez. Talvez haja os que, embora quebrados, transitem entre os inteiros sem que sejam percebidos a procura de conserto ou quem sabe de quebrar-se de vez. Talvez. '~'

Cuidem-se, abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário